Mensagem aos Catequistas Rogacionistas e comunidades

 

Paz e bem a todos os irmãos e irmãs,

 

Nos dias 12 e 13 de setembro de 2009, em Bauru (SP), na paróquia Nossa Senhora das Graças, aconteceu o Encontro Nacional de Catequistas Rogacionistas. Participaram desse encontro párocos, religiosos e catequistas das paróquias Rogacionistas. Foi um momento de interação, partilha e reflexão sobre o ano catequético nacional na perspectiva do carisma do Rogate.

Cabe a nós, catequistas e religiosos, a missão de evangelizar, convictos de que todos são chamados a assumir esse desafio, cada um com sua responsabilidade específica (cf. Diretório Nacional de Catequese, n. 237-251). E também entender que o processo catequético na Igreja é um direito de todo batizado (cf. idem, n. 178; 180ss). Por isso, em nossa realidade requer-se uma catequese que se preocupa em evangelizar adultos, preparar noivos e também alcançar as famílias, e não somente trabalhar com crianças e jovens para receberem os sacramentos da iniciação cristã.

A catequese deve ser transformadora e atenta às necessidades da comunidade. Nesse contexto devemos estar preparados para fazer ecoar o evangelho, provocando um encontro pessoal e comunitário com Jesus Cristo, seguindo o Mestre e tornando-se um discípulo missionário.

Dentro da perspectiva de co-participantes em fazer acontecer o Reino de Deus queremos avançar em nossa prática, com uma postura pautada na busca de uma profunda espiritualidade e de uma adequada formação bíblico-catequética.

Retornamos às nossas comunidades fortalecidos, entusiasmados, motivados e conscientes de que devemos entender a nossa realidade para desenvolver a nossa ação catequética, com a inspiração do Espírito Santo.

Com o Cristo do Rogate e com Santo Aníbal queremos continuar rezando: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos! Por isso, peçam ao Dono da colheita que mandem trabalhadores para a colheita” (Mt 9,37-38).