Revista Rogate do Brasil completa 30 anos

 

No dia 02 de junho, na sede da revista Rogate, em São Paulo (SP), um evento vocacional marca os 30 anos do Centro Rogate do Brasil e da revista Rogate. Ambos começaram a ser pensados em 1981 pela então equipe de religiosos animadores vocacionais, responsáveis pelo setor Rogate no Brasil. A proposta era criar um centro vocacional que se responsabilizasse pela revista e por outras produções vocacionais e atividades formativas. As duas ideias foram aprovadas e começaram a se tornar realidade. O Centro Vocacional Rogate, depois chamado Centro Nacional Rogate e, atualmente, Centro Rogate do Brasil, foi implantado inicialmente em Curitiba (PR), tornando-se responsável pela produção da revista Rogate, versão brasileira da revista Rogate Ergo, italiana. A primeira edição da Rogate foi lançada em maio de 1982, há exatos 30 anos! Em 1987 a sede do Centro Rogate (e da revista) foi transferida para São Paulo (SP), onde se mantém até os dias atuais.

O evento festivo do dia 02 de junho prevê a participação do Superior Provincial, Pe. Juarez Albino Destro, do diretor geral da revista e do Centro Rogate do Brasil, Vigário e Conselheiro Provincial para o setor Rogate, Laicato e Paróquias, Pe. Geraldo Tadeu Furtado, e da equipe de redação e marketing da revista. Dois assessores estarão aprofundando duas temáticas atuais: Pe. Gilson Luiz Maia, religioso Rogacionista, pároco em Bauru (SP), apresentará as novidades trazidas pelo 2º Congresso Vocacional Latino-americano e Caribenho; Ir. Helena Corazza, religiosa Paulina, presidente da Signis Brasil (organismo ligado à Signis Mundial, que tem por missão congregar os diversos meios de comunicação), refletirá sobre a íntima relação entre comunicação e vocação.

 

A serviço da animação vocacional

Inspirado pelo testemunho de Santo Aníbal Maria Di Francia (1851-1927) e por seu empenho na divulgação do carisma do Rogate, o Centro Rogate do Brasil tem investido seriamente na produção de subsídios e periódicos na área vocacional para toda a Igreja do Brasil, bem como em subsídios para a utilização da Família do Rogate. A principal produção do Centro é a revista Rogate, que apresenta artigos, reportagens, notícias e entrevistas que auxiliam o serviço dos animadores e animadoras vocacionais. São elaboradas 10 edições ao ano e, desde os primeiros anos de vida, circula com o encarte Celebração Vocacional, subsídio de quatro páginas, disponibilizado também em separado. Outro subsídio encartado na revista, desde 2005, é o suplemento infantil A Turma do Triguito, destinado ao trabalho dos animadores vocacionais e catequistas que trabalham com crianças e adolescentes.

Além da revista Rogate e dos subsídios Celebração Vocacional e A Turma do Triguito, o Centro Rogate do Brasil tem realizado muitas outras produções editoriais, com ampla distribuição pelo país. Bons exemplos são o Informativo RogZelo, dedicado à Família do Rogate, sob responsabilidade direta da Equipe de Assessoria ao Rogate (EAR); a Agenda Vocacional Caminhos, que nasceu no ano 2000 por iniciativa da EAR e atualmente está sob a responsabilidade da Editora e Livraria do Instituto de Pastoral Vocacional (IPV), entidade fundada em 15 de agosto de 1993, a partir da união de Congregações e Institutos com carisma vocacional, visando servir a Igreja no campo das vocações e ministérios; o Boletim Convocação, editado durante 16 anos em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), deixando de ser produzido no final de 2006. Muitos materiais são produzidos basicamente para utilização interna do instituto, como a Coleção Escritos Rogacionistas, que em geral destaca documentos da Congregação e da Província São Lucas, e cartas circulares do Superior Geral dos Rogacionistas. O trabalho do Centro Rogate engloba, ainda, produtos direcionados à divulgação de Santo Aníbal Maria Di Francia, como cartazes, postais, cartões, santinhos com orações vocacionais, livretos próprios e livros da Coleção RogZelo, uma iniciativa da EAR, que une os trabalhos dos Rogacionistas e das Filhas do Divino Zelo. O Centro Rogate do Brasil tem investido, além da comunicação impressa, na elaboração de sites para a rede mundial de computadores: Província São Lucas (www.rogacionistas.org.br), revista Rogate (www.rogate.org.br) e A Turma do Triguito (www.triguito.org.br).

Desde os primeiros anos de criação, o Centro Rogate investe na formação de animadores e animadoras vocacionais. Houve, por alguns anos, o Curso Vocacional à distância, mantido em Curitiba. O Encontro Interestadual de Formadores, Promotores e Animadores Vocacionais, agora chamado de Encontro Rogate, já está em sua 29a. edição. Visa aprofundar o estudo de temas específicos na ótica vocacional. O primeiro encontro foi realizado na região sul, no Seminário Rogacionista Pio XII, em Criciúma (SC), de 27 a 30 de outubro de 1983, com o tema, "O animador vocacional: figura e espiritualidade". Participaram deste evento cerca de 200 pessoas, entre religiosas, religiosos, padres diocesanos, cristãos leigos e leigas, formadores e animadores vocacionais, de diferentes congregações e dioceses brasileiras. A partir de 1993 os Encontros Rogate passaram a ser organizados em parceria com o IPV. O Centro Rogate do Brasil tem a missão também de prestar assessorias às comunidades eclesiais Rogacionistas e de outros institutos e dioceses. Em sua sede, disponibiliza de salas específicas para a realização de cursos, retiros, reuniões, entre outras atividades.

 

Nosso carisma e missão

Ao celebrar 30 anos de vida devemos ter presente que os votos de felicidades e parabéns são nossos e não apenas de quem trabalhou ou presta seu serviço atualmente no Centro Rogate do Brasil e suas atividades inerentes. Sim, estamos todos de "parabéns"! Nosso carisma continua sendo transmitido, o Rogate está sendo divulgado, a cultura vocacional na sociedade aumenta a cada dia. Sim, somos todos responsáveis por isso! Na corresponsabilidade avançamos, na mútua colaboração o serviço específico do Centro Rogate do Brasil será incrementado, os desafios serão superados.

E os desafios não são poucos. Podemos citar o ainda reduzido número de pessoas envolvidas diretamente na missão do Centro Rogate e a dificuldade em se conseguir recursos financeiros para manter a qualidade nos serviços. Busca-se superá-los, em primeiro lugar, na conscientização dos religiosos de que TODOS somos responsáveis. O Centro Rogate do Brasil é nosso! Outras iniciativas são fundamentais, como o despertar para a área específica da comunicação. Neste sentido, faz-se urgente a implantação no currículo formativo, desde as etapas iniciais do processo, de uma "educação para a comunicação" ou algo semelhante, com um plano de curso bem estruturado e progressivo. É importante estarmos atentos e estimularmos religiosos que tenham o perfil a fazerem especialização na área.

No âmbito das estruturas o Governo Provincial está ciente de que deve continuar contemplando em seu plano econômico o repasse de recursos financeiros ao Centro Rogate, em vista do serviço de qualidade. Mesmo assim devemos avançar. O investimento no setor de marketing, por exemplo, contratando profissionais qualificados que se preocupem com o incremento econômico e a captação de recursos, é uma urgência. Na medida do possível, tanto para esta, quanto para outras iniciativas, deve-se buscar o trabalho em parcerias, com institutos e organismos afins. O Centro Rogate do Brasil já vem trabalhando desta forma, seja com o IPV, seja com as Filhas do Divino Zelo ou, ainda, com outros organismos da Igreja, especialmente a Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CMOVC-CNBB) e a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB). Essencial também, ao nosso ver, é a criação de uma rede de intercâmbio entre os diversos Centros Rogate existentes, partilhando iniciativas, fazendo planejamento comum e disponibilizando informações e subsídios concretos. Acreditamos que o Governo Geral esteja trabalhando nesta direção.

Concretamente, a curto prazo, nossas Comunidades Religiosas poderiam estar mais em comunhão com o serviço do Centro Rogate do Brasil, formando verdadeiros Centros Rogate locais. Para isso não é necessário sala própria ou maquinários específicos. Basta mudança de atitude e vontade. A utilização e divulgação dos produtos do Centro Rogate do Brasil (especialmente a revista Rogate e seus encartes - Celebração Vocacional e A Turma do Triguito), já seria um primeiro e importante passo. Utilizar as próprias secretarias paroquiais como locais de assinaturas dos periódicos, por exemplo, já seria um grande avanço. Outros projetos poderiam ser pensados com a equipe de assessoria, a EAR.

Após 30 anos de vida e de serviços, juntamente com as celebrações festivas nasce mais uma vez o desejo de se iniciar algo mais concreto na área hispânica - Argentina e Paraguai - de nossa Província São Lucas. A Equipe de Animação ao Rogate na área Hispânica (EARH), formada por religiosos animadores vocacionais - Rogacionistas e Filhas do Divino Zelo -, desde 2004 vem trabalhando nesta intenção. Algumas iniciativas já foram realizadas, mas o sonho de se iniciar um Centro Rogate estruturado continua. Oxalá este aniversário de 30 anos do Centro Rogate do Brasil estimule-nos para dar passos mais concretos na realização deste ideal.

 

Feliz Aniversário a todos! Que Santo Aníbal Maria Di Francia, o iniciador do serviço de animação vocacional na Igreja e no mundo, continue intercedendo por nós e nos estimulando nesta nossa missão!

Pe. Juarez Albino Destro, RCJ

Província Rogacionista São Lucas